Início | Noticias | Noticias | Você conhece a importância do autoexame?

Você conhece a importância do autoexame?

Aprenda como se prevenir corretamente a cada mês

58 mil casos de Câncer de mama são registrados por ano no Brasil e que, aproximadamente, 15 mil óbitos são em decorrência da doença, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). E apesar dos tratamentos que avançam a cada dia, uma das formas mais simples de detectar alguma anomalia ainda é uma das mais eficazes: o autoexame da mama.

Para fazer o autoexame é necessário seguir três passos fundamentais, são eles: observar-se em frente ao espelho, palpar a mama de pé e repetir a palpação deitada. Este procedimento deve ser feito uma vez por mês, de 3 a 5 dias após a menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que já não têm menstruação.

Depois dos 20 anos, mulheres com caso de câncer na família, ou com mais de 40 anos, sem caso de câncer na família, devem realizar o autoexame da mama para prevenir e diagnosticar possíveis anomalias precocemente.

Passo-a-passo para fazer o autoexame

Para fazer corretamente o autoexame da mama é importante realizar uma avaliação em frente ao espelho, em pé e deitada.Para se fazer a observação em frente ao espelho deve-se retirar toda a roupa e seguir alguns passos:

Primeiro, observar com os braços caídos;

Depois, levantar os braços e observar as mamas;

Por fim, recomenda-se colocar as mãos apoiadas na bacia, fazendo pressão para observar se existe alguma alteração na superfície da mama.

É importante avaliar na hora do exame, o tamanho, a forma e cor das mamas, assim como inchaços, abaixamentos, saliências ou rugosidades. Caso existam alterações que não estavam presentes no exame anterior ou diferenças entre as mamas, marque uma consulta com um ginecologista.

Outros sinais do câncer

Os sintomas iniciais de câncer de mama estão relacionados com alterações na mama, e principalmente, o surgimento de um pequeno nódulo. Mas além disso, também é importante saber que muitos dos nódulos que surgem na mama são benignos e, por isso, não representam uma situação de câncer.

Assim, deve-se suspeitar de um câncer de mama quando também surgem outras alterações, como:

Liberação de líquido pelo mamilo, especialmente sangue;

Nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;

Veias facilmente observáveis e que aumentam de tamanho;

Vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama;

Alteração na coloração ou forma da aréola;

Presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama;

Formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;

Por tudo isso, o diagnóstico precoce faz parte de um processo preventivo que aumenta e muita as chances de cura. E mesmo para aqueles casos mais complicados, há tratamentos que permitem viver com dignidade e com qualidade de vida pelo maior tempo possível.